24/07/2018 10:00:00

Vocações Econômicas de Petrópolis – Casos de Sucesso

Tecnologia da Informação e Comunicação

Resumo da Mesa Redonda que ocorreu no auditório do Sicomércio em 11 de Abril de 2018 – com palestrantes da Academia e Setores Público e Privado.

Participantes

Marcelo Carius – Nek-IT
Marcelo Simões – Relações Institucionais da Secretaria Municipal de Desenvolvimento de Petrópolis
Marcio Campos – TI Rio e Secret de Desenv. PMP
Professora Marcilene Scantamburlo – Professora da Universidade Estácio de Sá e empresária
Prof. Cleveland M Jones – Vice-Presidente do IPGPar
Marcelo Fiorini – Secretário da Secretaria de Desenvolvimento de Petrópolis

Introdução

Estiveram presentes alunos da Univ. Estácio de Sá, empresários do ramo e outros, professores, e público em geral.

Foram apresentadas breves falas de cada membro da mesa e surgiram diversas discussões e comentários.

Entre os pontos apresentados, foi destacada a iniciativa da Prefeitura Municipal de Petrópolis (PMP) de elaborar a Lei da Inovação, de forma colaborativa, junto com a sociedade, em eventos que permitiram oportunidades de contribuições específicas.

Também foi destacada a importância da conectividade para subsidiar iniciativas na área de Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC). No caso de Petrópolis, há consenso que a conectividade é satisfatória somente pontualmente, como no polo tecnológico do Serratec.

Dada que a comunicação é a base de qualquer desenvolvimento integrado entre os setores com peso na economia de uma cidade, a discussão atual sobre cidades inteligentes se contrapõe com a realidade atual – se as cidades, ou até Petrópolis, ainda não são cidades inteligentes, elas são o quê?

A questão da formação da mão de obra que atenda às demandas do segmento de TIC foi abordada, tanto do ponto de vista da importância das entidades educacionais (escolas técnicas e de ensino superior) nessa formação e disponibilização de pessoas qualificadas para entrar no mercado de trabalho, como do ponto de vista da demanda por essa mão de obra por parte das empresas de TIC.

Diferentes abordagens, uma valorizando a formação de pessoas qualificadas para serem empregadas imediatamente, e outra, valorizando o empreendedorismo como elemento chave para promover o crescimento de novas empresas e o desenvolvimento do segmento de TIC na cidade, foram discutidas.

Os diferentes modelos de desenvolvimento de uma cidade com vocação tecnológica também foram discutidos, como o que estimula o desenvolvimento tecnológico em toda a cidade, o que cria diversos polos tecnológicos menores na cidade, ou o que se baseia em um único e forte polo tecnológico indutor do desenvolvimento tecnológico na cidade, como parece ser o caso de Petrópolis.

Até mesmo a vocação tecnológica de Petrópolis foi discutida, já que tal vocação pressupõe uma série de condições que podem não estar verdadeiramente presentes para permitir o livre desenvolvimento do segmento.

A situação de Petrópolis, incluindo número de empresas verdadeiramente dedicadas ao segmento de TIC, empregos, PIB, etc, e a situação e o estágio de desenvolvimento de outras cidades com polos tecnológicos, também foi discutida, evidenciando como cidades concorrentes estão avançando no desenvolvimento de seus polos tecnológicos, e colocando um imperativo para que Petrópolis não desperdice tempo ou oportunidades.

Entre os temas-chave discutidos, que poderão potencializar o desenvolvimento do segmento de TIC em Petrópolis, foram mencionadas as questões que ora são um impedimento, que ao serem destravados poderão dar ímpeto a esse desenvolvimento, como qualificação de mão de obra, estímulo ao empreendedorismo, melhora de infraestrutura como conectividade, e mais integração entre setores da economia de Petrópolis. Outras propostas focaram a criação de mais comunicação e integração e melhor aproveitamento das ilhas de excelência existentes.

Justamente nas soluções propostas, o IPGPar se propõe a atuar como indutor de uma maior comunicação entre todos os players, e para ajudar a organizar e realizar eventos que possam alavancar o desenvolvimento integrado do segmento de TIC e outros, em Petrópolis.

As questões que evidentemente fogem do controle municipal ou das possibilidades das iniciativas propostas, como a redução da burocracia, custo Brasil, logística deficiente ou questões legislativas, não foram consideradas, mantendo o foco em ações propositivas que poderão de fato ser implementadas e resultar em ganhos reais, em curto prazo.

Após a realização de reuniões de grupos de trabalho organizados pelo IPGPar, propostas específicas serão desenvolvidas e apresentadas como parte de um abrangente documento a ser apresentado ao público pelo IPGPar – a Agenda Petrópolis, que deverá ser lançada no segundo semestre de 2018.

Redação: Cleveland M. Jones


icone logo ipgpar

IPGPar - Instituto Pró Gestão Participativa
Rua Afrânio de Mello Franco n.º 333-101, Quitandinha
Petrópolis, RJ - CEP 25651-000
E-mail: ipgpar@ipgpar.org / ipgpar@gmail.com
Sitio: http://www.ipgpar.org / http://www.dadosmunicipais.org.br/
Facebook: https://www.facebook.com/institutoprogestaoparticipativa/

Voltar

CADASTRE-SE E RECEBA NOSSAS NOVIDADES: